Senac São Paulo habilita simulados online no Ensino Médio por meio do Microsoft Forms

08 de setembro de 2021

Postado por Nathalie Rios em Sem categoria

Senac São Paulo habilita simulados online no Ensino Médio por meio do Microsoft Forms

O engajamento da prova não obrigatória foi grande, e a plataforma concedeu um mapeamento das dificuldades e facilidades dos alunos, trazendo inteligência à avaliação de competências 

O setor educacional já vivia um processo de transformação antes da pandemia de covid-19, como uma discussão em alta sobre a revisão de formas de passar conteúdo a uma geração com acesso a muita informação na palma da mão, bem como a expansão de modelos híbridos e ensino a distância, acessibilidade, entre outras questões.

Porém, mesmo nesse processo de transformação contínua, os profissionais da educação — assim como toda a população — foram pegos de surpresa em 2020. Com a pandemia, esse processo de transformação foi acelerado e instituições precisaram se adaptar à nova realidade sem afetar os calendários e o aprendizado dos estudantes. A consequência desse movimento foi uma transformação digital acelerada no setor e uso de novas dinâmicas educacionais com suporte tecnológico.

Em julho de 2021, o Ensino Médio do Senac São Paulo aplicou um simulado nos moldes do Enem (Exame Nacional do Ensino Médio) de forma totalmente online, fazendo uso do Microsoft Forms. “Aplicar um simulado seguindo os moldes do Enem seria inviável em nossas unidades escolares no primeiro semestre em decorrência da covid-19. Nesse sentido, como alunos e professores já tinham familiaridade com a ferramenta e ela atendia às nossas necessidades, optamos pela realização via Microsoft Forms”, afirma Melina Garcia Cunha Sanjar, gerente de desenvolvimento do Senac São Paulo. A simulação é uma maneira de fazer com que os alunos assimilem os moldes de uma prova crucial para muitos estudantes nacionalmente.

O desenvolvimento da prova contou com a participação de professores de diversas unidades do Senac São Paulo, processo que durou entre quatro e cinco meses, com dois dias de prova e duração entre 5h30 e 6h. Após a elaboração dos cadernos, as questões foram inseridas no Microsoft Forms, e os alunos puderam acessar a prova por meio do seu login de estudante no Senac, vinculado à conta Microsoft.

“O Senac faz ótimo uso da tecnologia no método de ensino. Acredito que a tecnologia é o futuro, então tendo domínio da tecnologia me sinto mais preparado para o mercado de trabalho”, conta um dos alunos que participou da prova.

O primeiro dia de prova foi em dia 19 de julho, abordando “Linguagens e suas Tecnologias + Ciências Humanas e Sociais aplicadas + Redação”, das 13h às 19h, e o segundo dia foi em 26 de julho com outras matérias, sendo “Ciências da Natureza e suas tecnologias + Matemática e suas Tecnologias”, das 13h às 18h30. O simulado contemplou alunos PCD e sabatistas, que receberam provas específicas de acordo com os recursos disponíveis e horários diferentes com o uso de recursos, como intérpretes, leitores e a flexibilização do horário.

De um total de 3.700 alunos do Senac São Paulo, o simulado, que não era obrigatório, abrangeu um total de 2.000 estudantes de 17 unidades, “Sinto que as tecnologias que usamos são necessárias para o aprendizado, principalmente nesse momento de pandemia. Como eu quero continuar meus estudos na área de tecnologia, acho muito necessário o uso da tecnologia na escola”, celebra outro aluno.

Após a realização da prova, com uso da tecnologia Microsoft, os resultados saíram com muito mais rapidez do que no tradicional processo manual de correção, com gráficos de análise de desempenho, mapeando competências e dificuldades dos alunos — o que conferiu inteligência aos professores. “Além da praticidade, os relatórios com os resultados foram muito importantes para que os professores pudessem trabalhar cada resposta com os alunos”, avalia Melina.

A aplicação do simulado foi um sucesso, tanto em termos do engajamento de estudantes como da experiência de um simulado e a inteligência que a tecnologia promoveu aos profissionais do Ensino Médio do Senac São Paulo. O próximo passo é refazer o simulado no semestre seguinte e aprimorar sempre a experiência de estudantes e professores. “A atividade foi muito positiva, pois os alunos puderam se familiarizar com a prova sem qualquer exposição. A discussão gerada a partir dos gráficos com os resultados foi muito importante para entender o grau de dificuldade de cada questão e os motivos de erros e acertos”, finaliza Melina.

Para saber mais sobre o Senac São Paulo, acesse esse link.

Últimos posts